Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Três estados da região Norte do país apresentam maior risco de infecção e de mortalidade por Covid-19, segundo um estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), publicado no periódico PLOS ONE.

A conclusão foi divulgada após uma análise dos padrões espaciais de infecção e mortalidade pela doença na região norte do Brasil.

Amazonas

Nos primeiros meses de 2021, após a nova variante originada em Manaus ter causado uma segunda onda do coronavírus, o número de mortes e casos confirmados ficaram entre os maiores do Ranking. O Estado chegou a ser o epicentro da doença no Brasil quando o surto em março deste ano, aumentou em 80% em menos de duas semanas o número de contaminações e óbitos.

No Estado do Amazonas, desde o começo da pandemia, 12.951 pessoas morreram de COVID. O total de casos confirmados chegou a 384.634. Mais de 170 mil somente em Manaus.
Atualmente, o Amazonas encontra-se na fase laranja, que representa risco moderado para transmissão de Covid. Os dados constam no boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). As medidas de restrições continuam e fechamento de algumas atividades também.

Pará

Já o Estado vizinho, o Pará, avançou na vacinação e e acordo com o levantamento, o índice de infecção da Covid-19, considerando a projeção por 100 mil habitantes, está no patamar de 30,27 novos casos/dia, enquanto a média nacional é de 44,07 casos.

Já quanto ao índice de letalidade, o Pará apresenta 0,87 óbitos, enquanto a média nacional é de 2,01. As projeções também consideram a projeção por 100 mil habitantes. O Pará já registrou um total de 501.407 casos de Covid-19 e 14.016 mortes. De acordo com o boletim da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa).

O Estado possui, até então, 468.556 recuperados. Em relação à ocupação de leitos na rede estadual, tem ocupação de 39% dos 935 leitos clínicos e 65% dos 639 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI)

No início de Maio, após a segunda onda de COVID, o governo alterou o bandeiramento para amarelo, indicando alerta, porém de uma forma menos restritiva como aconteceu em Manaus.

Pessoas com 18 anos já com comorbidades já começaram a receber o imunizante, e o município de Ananindeua, é o primeiro a oferecer vacina para pessoas entre 53 e 55 anos sem comorbidades.

Amapá
No final de abril deste ano, o Governo Federal decretou estado de calamidade Pública no Amapá em função da pandemia da Covid-19, foi reconhecido da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. A portaria do Governo Federal foi publicada na quarta-feira (19) no Diário Oficial da União (DOU).

A situação foi declarada pelo governo amapaense considerando, entre outros motivos, a continuidade dos impactos da pandemia nas finanças públicas, e a necessidade de realizar, com segurança jurídica, ações emergenciais de prevenção e resposta ao avanço do vírus.

O Amapá tem 110.403 casos confirmados, 85.766 pessoas recuperadas, 1.657 óbitos neste mês e 85.766 pessoas recuperadas.

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio