Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Na medicina, o termo check-up médico significa checar ou conferir, e é muito comum ouvir alguém falar que irá realizar um check-up para saber como anda a saúde. O nome é frequentemente dito, mas nem sempre as pessoas, por inúmeros motivos, dão a devida atenção para a realização dessa importante série de exames médico. Em alguns casos, a busca por assistência médica só ocorre quando há queixas de sintomas, porém, há muitas doenças silenciosas que podem ser descobertas por meio da realização de um check-up.

O médico de Família e Comunidade Alexandre Calandrini explica o que é o check-up médico. “Trata-se de uma avaliação clínica em pessoas sem sintomas com intuito de identificar doenças na sua fase assintomática, devendo ser solicitado com base nas melhores evidências científicas disponíveis”. 

Segundo o especialista, há uma confusão entre o que é o check-up, investigação diagnóstica e acompanhamento ou monitoramento de doenças. Ele enfatiza a relação dos três termos citando alguns exemplos:

“Se você for uma mulher de 52 anos, mesmo que não tenha sintomas, existe a recomendação de se realizar uma mamografia como ‘check-up’ para identificar câncer de mama. Agora, se você for uma mulher de 30 anos, sem sintomas, sem problemas de saúde e de baixo risco para câncer de mama, não existe recomendação para que se faça check-up de câncer de mama”, afirma.

Calandrini acrescenta que, por outro lado, se essa mesma mulher apresenta sintomas como secreção mamilar, nódulo palpável ou outros sintomas sugestivos, ela precisa realizar uma investigação diagnóstica.

De acordo com Alexandre, se essa mesma mulher fez alguns exames e identificou que não se tratava de um câncer, mas de um nódulo benigno que exigia um acompanhamento periódico, nesse caso se trata de um acompanhamento ou monitoramento de uma determinada condição de saúde.

Para o médico, a melhor forma de cuidar da saúde são por meio dos hábitos e da saúde mental como a alimentação saudável, atividade física, não fumar, dormir bem e manejar estresse de forma adequada. “Nenhum exame supera um estilo de vida saudável”, destaca.

Calandrini conta que alguns pacientes estão preocupados com algo oculto. “Falo aqui do paciente que viu o vizinho ter um infarto e ficou preocupado se poderia ter um infarto também; falo do paciente que quer saber sobre vitaminas e hormônios, mas na verdade está preocupado por ter tido sintomas de impotência sexual”, detalha.

Principais exames solicitados em um check-up 

Na prática, os mais solicitados são aqueles que podem contribuir para avaliar risco cardiovascular, segundo Alexandre.

  • Glicemia;
  • Colesterol e frações;
  • Triglicérides;
  • Alguns incluem hemograma, função renal, enzimas hepáticas e sorologias para infecções sexualmente transmissíveis;
  • Outros exames dependem de uma avaliação individualizada. 

Calandrini avalia que a frequência de realização do check-up para homens e mulheres depende da condição de saúde. “Genericamente, os solicitados para avaliação de risco cardiovascular podem ser feitos depois dos 20-30 anos. A periodicidade varia de anual a 3 em 3 ou 5 em 5 anos. Agora, se falarmos de câncer, as evidências mais fortes para check-up envolvem o câncer de colo do útero, o de mama e o colorretal”, ressalta.

O especialista declara que o exame de check-up não previne doença, e que por definição, eles podem ser úteis para encontrar a doença na sua fase assintomática. “Em geral, as condições de saúde alvo desses exames são aquelas de maior mortalidade como doenças cardiovasculares e câncer.  No entanto, é importante ressaltar que esses exames não são isentos de riscos.  Por isso, cada vez mais as discussões sobre o tema têm olhado menos para a ideia de ‘diagnóstico precoce’ e mais para a de ‘diagnóstico oportuno’, que é quando os benefícios superam os riscos, tendo como base as melhores evidências científicas disponíveis”, pontua.

O médico finaliza relatando sobre a mudança de estilo de vida para a prevenção de doenças, além da importância de realizar o acompanhamento com um especialista de confiança. “Talvez a melhor forma de prevenir doenças seja por meio de um estilo de vida saudável e acesso a profissionais de saúde que te conheçam como um todo e estabeleçam com você uma relação de confiança, ética e respeitosa e não apenas solicitem exames”, conclui.  

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio

Anúncio

INSTITUCIONAL

O Front Saúde

Bem-vindo à Revista Digital Front Saúde! Aqui você encontra as melhores notícias na área da saúde.

E se você soubesse de algo que pudesse salvar a vida de alguém que você ama?