Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assinou uma portaria nesta quinta-feira (2) que regulamenta o serviço de telessaúde no Brasil. O programa vai ampliar o acesso à saúde digital em todo o país.

Segundo Queiroga, a regulamentação da telessaúde irá viabilizar os atendimentos da população do Sistema Único de Saúde (SUS). “Estamos entrando com o pé firme em uma nova era da medicina. A utilização de tecnologias, de informação, de comunicação, fará a verdadeira revolução no Sistema de Saúde, trazendo mais acesso, mais eficiência, mais efetividade e custo-efetividade nas políticas públicas de saúde”, afirmou.

Na comunidade de Paysandu, em Santarém, no Pará, a telessaúde já é realidade, isso por que o Hospital de Clínicas da USP e o Governo do Reino Unido fizeram uma parceria. A encarregada de negócios do Reino Unido no Brasil, Melanie Hopkins, falou sobre a aprovação do serviço pontuando que ambos os sistemas de saúde compartilham valores fundamentais para a população. “Em meio a crises sanitárias, como a pandemia de covid-19, é de extrema que todos tenham acesso igual em qualquer serviço de saúde”, destacou.

O Ministério da Saúde também ampliou o acesso à saúde em mais de 320 municípios em áreas remotas. O programa disponibiliza aos profissionais serviços de teleconsultas e telediagnóstico, além de reduzir filas de espera e tempo para atendimentos de pacientes do SUS.

O Secretário Executivo do Ministério da Saúde, Daniel Pereira falou sobre os atendimentos do serviço no país seja para a rede pública ou privada. “A telessaúde já é uma realidade no SUS e na saúde privada. O nosso grande objetivo, tanto da saúde pública quanto da privada e suplementar é levar, de fato, os atendimentos de forma efetiva. Nada mais inovador, estratégico, responsável, eficiente que a gente tenha a utilização dessas plataformas tecnológicas para levar tanto a atenção primária, quanto a especializada, quanto consultorias e monitoramento a todos os cantos do Brasil”, enfatizou.

De acordo com o Secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, os mais de 320 municípios terão direito a aderir à essa portaria para acessar as plataformas com os serviços disponíveis. “O grande objetivo é dar saúde para quem mais precisa. A telessaúde é uma ferramenta fundamental junto com outras estratégias para nós conseguirmos o aumento da resolutividade da atenção primária”, comentou.

*Com informações da TV Brasil

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio