Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A infertilidade é fortemente associada apenas às mulheres. De fato, 50% das causas da dificuldade de ter filhos está relacionada ao público feminino, porém, 30% dos casos estão relacionados exclusivamente aos homens e 20% é ambas as partes. Ou seja, é comum o problema acometer o sexo masculino.

Entre as principais causas de infertilidade nos homens estão ligadas a hábitos de vida: obesidade, tabagismo, abuso de álcool, alimentação inadequada, sono não reparador e sedentarismo.

Existe também a varicocele, definida como a presença de dilatação e varizes nas veias da bolsa testicular. Há ainda os fatores genéticos, que influenciam na ausência total ou presença de poucos espermatozoides.

Já no caso da criptoquirdia, que é quando o testículo não desce antes do nascimento, se não for corrigida a tempo, é causa de infertilidade masculina. Além disso, existem os fatores hormonais principalmente por abuso de esteroides anabolizantes, que levam à essas causas e outros problemas.

O exame que avalia a fertilidade do homem é o espermograma, que aponta o volume do sêmen, a concentração dos espermatozoides, a motilidade e a morfologia dessas células. Com base nesses parâmetros, é possível estimar as chances do indivíduo conseguir ter filhos.

No caso de alteração do espermograma, solicitamos outros testes e métodos para avaliar as causas envolvidas, como ultrassom de bolsa testicular, doppler para averiguar uma eventual varicocele, exames hormonais e uma técnica chamada fragmentação de DNA espermático, que apura razões por trás da infertilidade e de abortos de repetição.

O tratamento da infertilidade masculina passa pela identificação do motivo. Se caso for varicocele, o tratamento cirúrgico pode ser indicado, mas se for relacionada ao estilo de vida, é recomendado a perda de peso, prática de exercícios, melhora na alimentação etc.

Porém, há casos que são irreversíveis, em geral, por causas genéticas ou sequelas de traumas e infecções. Nessas circunstâncias, são indicados os tratamentos de reprodução assistida, a inseminação artificial ou a fertilização in vitro.

Há os episódios de azooespermia, que é a ausência de espermatozoides na ejaculação, mas é possível, por meio de uma pulsão ou biópsia do testículo ou do epidídimo (estrutura onde ficam armazenadas as células germinativas), obter algum espermatozoide e partir para a técnica de fertilização in vitro.

Nos casos em que não há espermatozoides e a biópsia não é uma opção, é possível recorrer a bancos de sêmen, de doador anônimo, para que o casal consiga ter filhos e o homem com infertilidade consiga ser pai não biológico.

Em casos de suspeita de infertilidade, tanto o homem como a mulher devem ser investigados junto a uma equipe especializada. Dessa forma, é possível encontrar um caminho para que o casal possa realizar o sonho de se tornarem pais.

Fonte: Veja Saúde

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio

Anúncio

INSTITUCIONAL

O Front Saúde

Bem-vindo à Revista Digital Front Saúde! Aqui você encontra as melhores notícias na área da saúde.

E se você soubesse de algo que pudesse salvar a vida de alguém que você ama?