Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Um estudo revelou que um gene desempenha um papel importante no crescimento das crianças, como no período da chegada à puberdade. Além disso, a pesquisa mostrou, ainda, que as pessoas com uma mutação nesse gene sofrem atrasos em seu desenvolvimento.

Publicado na revista científica Nature por uma equipe de cientistas britânicos, o estudo avalia o papel de uma proteína, conhecida como MC3R, que atua sobre a forma em que o cérebro reage a um hormônio, a melanocortina.

Esse hormônio é o principal responsável pela pigmentação da pele. Contudo, nos últimos anos, foram atribuídas outras funções ao mesmo, particularmente na regulação do apetite. Sabemos que outro receptor, chamado de MC4R, pode favorecer a obesidade quando funciona mal por uma anomalia genética.

Em síntese, “os humanos em que a sinalização da MC3R é deficiente apresentam crescimento mais lento”, afirmam os autores do estudo.

Os pesquisadores observaram primeiro alguns milhares de pacientes britânicos que apresentavam mutação no gene. Para isso, utilizaram uma enorme base de dados biológica da UK Biobank, uma organização que compila há vários anos esse tipo de informação no Reino Unido, e também dados recolhidos por um estudo prospectivo realizado há décadas pela Universidade de Bristol.

Após várias comparações com grupos de indivíduos em que o gene se expressa normalmente, os cientistas estabeleceram que essas mutações estavam associadas com a puberdade tardia e com o crescimento mais lento durante a infância.

Fonte: Isto É

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio