Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A economia brasileira está em um momento delicado com a disparada da inflação, seguida pela alta taxa de desemprego. Normalmente, são nesses períodos difíceis que surgem dados sobre endividamento das famílias e também inadimplência de cartão de crédito e financiamentos.

Os médicos que cuidam da saúde mental, veem com muita frequência pessoas que não conseguem usar seus recursos de forma saudável, mesmo em períodos de prosperidade econômica.

A saúde financeira e saúde mental estão interligadas. Uma pesquisa realizada em 2019 pelo Instituto Americano do Estresse apontava que 62% – com a maioria do povo americano – das pessoas estavam com estresse devido as finanças. O estresse, em alguns momentos, é um dos motivos para a baixa saúde mental.

Muito tem se falado sobre bem-estar financeiro. Mas, afinal, o que é isso? A explicação está em ter controle sobre os seus recursos e não o contrário. É ter, também, a capacidade de dar conta de possíveis choques financeiros – uma doença que o afaste do trabalho, por exemplo, ou até mesmo perder o emprego. E além disso, ter a liberdade financeira de aproveitar a vida.

Como conquistar bem-estar financeiro?

  1. Faça as contas: pode parecer óbvio, mas muitas pessoas não colocam as entradas e as saídas de recursos em um papel. Existem aplicativos que podem ajudá-lo nisso. Vale repetir: veja quanto, de fato, você recebe a cada mês. Autônomos podem ter renda variável; assim, vale refazer essa conta mensalmente.

Escreva quais são as suas contas fixas e quais são as que variam no mês. Por exemplo, as prestações que terminará de pagar com o tempo. Anote a data de fatura de cada uma dessas despesas nesse. Não esqueça de colocar nas despesas uma pequena reserva para um investimento. Não importa quanto, mas reserve um pouco em cada mês.

Somar tudo no papel também ajuda a ter ideia de quanto cada item está consumindo do seu salário e, com isso, é possível fazer uma avaliação do que pode ser cortado e reduzido. Isso também ajuda na organização para viver de acordo com salário e a não dar um passo maior do que as pernas.

  1. Reserve recursos para um momento difícil: não precisa ser muito! Sempre de acordo com as suas possibilidades. Quando alguém demonstra a elas, muitas pessoas ficam surpresas com quanto é possível guardar em um ano.
  2. Planeje-se para reduzir as dívidas: é preciso colocar no papel o valor que se deve. Muita gente também se surpreende quando soma todas contas que fez ao longo do ano. Discrimine quanto ainda falta pela frente e organize-se para saldá-las, nem que seja dali a um ano.

Caso precise comprar algo e não tenha o recurso de imediato, faça primeiro a conta de quanto será os juros cobrado sobre esse financiamento. Muitas lojas oferecem desconto em casos de compras à vista, o que significa que talvez seja melhor adiar a compra e economizar para adquirir o produto.

A relação com o dinheiro pode ser tóxica e atingir profundamente a saúde mental, principalmente quando o dinheiro passar a nos dominar.

Fonte: Forbes

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio