Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A internet é um mundo o qual permite que as pessoas possam ficar conectadas umas com as outras. Hoje, as redes sociais se tornaram um meio de comunicação. A primeira rede social surgiu nos EUA, em 1995. O TikTok, Instagram, Twitter, LinkedIn e Facebook estão entre as redes mais usadas atualmente.

Muito usada por crianças e adolescentes, os pais ou responsáveis devem acompanhar o comportamento dos filhos para perceber quando a relação com a redes é sadia ou excessiva, explica a psicóloga Roberta Rios. “O ponto que a gente precisa verificar se é saudável a relação dos adolescentes com as redes sociais, é o do sofrimento. Verificar se esse adolescente apresenta algum sofrimento, alguma mudança de comportamento importante ou se está impactando nas outras áreas da vida do adolescente. Agora, se é uma relação saudável pro adolescente interagir com outros adolescentes, está ali com seus pares e não se percebe grandes problemas, não vejo as redes como uma vilã. É importante que os pais estejam sempre próximos e os educadores sendo um suporte de amparo e orientação”, afirma.  

Para a especialista, o acompanhamento excessivo das redes pode ser representado por falta de sono, alimentação, estudar, realizar atividades básicas, se isolar demais, além de não conseguir interagir com outros membros da família.  

De acordo com a psicóloga, a proximidade dos pais com os filhos é fundamental para perceber o tamanho da imersão na internet.  “Digo para os pais sempre se aproximarem de seus filhos e entrar no mundo deles. Assistir ao filme que eles estão vendo, o youtuber que eles gostam, a rede social que eles estão interagindo, se fazer presentes e acompanhar de perto para perceber o que está acontecendo. Os pais só percebem quando acontece algo grave. É muito importante os pais estarem próximos e se eles perceberem que esse consumo realmente é excessivo, que existe uma dependência”, ressalta.  

A importância da ajuda profissional 

A ajuda de um especialista é importante e necessária para que os pais possam saber lidar com esse processo. “Algumas dessas questões são possíveis resolver em casa, mas outras são necessárias ter uma intervenção técnica e profissional. Uma orientação qualificada para que se resolva, amenize para e encontre outros caminhos e outras possibilidades. A internet e as redes são um mundo sem fronteiras, então, é importante os pais estarem ali para ser o limite, o cuidado e o direcionamento. Os pais, ao invés de criticar, devem sentar e conversar com o olhar de entender o que pode se passar ali”, finaliza Roberta.  

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio