Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

O Pará é campeão de internações por Acidente Vascular Cerebral (AVC), com mais de 60% dos casos registrados na região Norte. Os dados do Ministério da Saúde revelam que até junho de 2019, o estado registrou o maior número de internações por complicações do AVC da região Norte, somando quase dois mil casos.

O  AVC  pode afetar qualquer pessoa e em qualquer idade e é a principal causa de incapacidade no mundo. Nesta sexta-feira, dia 29 de outubro, quando ocorre o Dia Mundial do AVC, médicos alertam sobre a doença. 

O neurologista Antônio de Matos explica que há dois tipos 85% são isquêmicos, quando há a obstrução de um vaso sanguíneo no cérebro, provocada pelo acúmulo de placas de colesterol. Isso reduz ou impede a circulação em determinada região cerebral. “No AVC hemorrágico, acontece a ruptura de um vaso sanguíneo, com sangramento dentro do cérebro”, comentou o neurologista.

Apesar do ser a também a principal causa de mortes no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, os médicos têm uma boa notícia sobre o AVC: em 90% dos casos, os derrames podem ser evitados com prevenção.
“Abolir o fumo, cuidar da hipertensão, controlar o máximo possível o colesterol, ter uma alimentação mais saudável. A grande maioria das pessoas imagina que o AVC seja como um raio, que cai de repente. Na verdade, não”, explicou Antônio.

Perceber os sintomas é fundamental para socorrer o paciente em caso de derrame: boca torta, dificuldade na fala, dormência em pernas e braços, perda da visão e desmaio. “Uma vez que ocorre o acidente vascular cerebral, no máximo em três horas o paciente tem que estar em tratamento, porque o cérebro morre rapidamente”, concluiu o médico.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio