Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A obesidade em pets é definida como o estado de acúmulo excessivo de gordura no organismo animal, a ponto de comprometer a saúde e qualidade de vida dos animais.

Uma pesquisa feita nos Estados Unidos em 2019, pela Association For Pet Obesity Prevention (Associação de Prevenção de Obesidade em Pets) constatou que 63% dos cães e 67% dos gatos domésticos estavam acima do peso. Ao todo, 18% dos cachorros e 28% felinos foram caracterizados obesos.

Segundo o Hospital Popular de Medicina Veterinária (HPMV) afirma que, atualmente, cerca de 25% a 40% dos cães e gatos adultos estão com sobrepeso ou obesos.

De acordo com a médica veterinária Elizângela Leitão especializada em nutrição clínica, para identificar essa doença crônica é necessário estar atento aos sinais. “O dono precisa estar ligado se o animal fica cansado facilmente, possui dificuldade de locomoção ou de respirar. Na maiorias das vezes, tem relação a desequilíbrios nutricionais com elevado fornecimento calórico, sedentarismo ou uso de medicamentos”, contou.

Por outro lado, não é dificil de solucionar este problema e com ajuda de um veterinário nutricionista fica muito mais fácil. “Ele orienta e direciona a melhor conduta a ser tomada, com segurança. Senão pode resultar em diabetes, doenças ósseas e articulares, problemas reprodutivos e dermatológicos”, esclareceu a especialista.

DICAS DE PREVENÇÃO

A especialista separou algumas dicas de como prevenir a obesidade no animal de estimação:

  • Alimentação correta e balanceada: seja alimentação natural ou ração, é preciso que o animal receba a quantidade de alimento necessário de acordo com a sua idade, porte físico e nível de atividade, o qual será orientado pelo veterinário;
  • Brinque com seu pet: interagir com o pet, além de ser muito gratificante, estimula o gasto de energia;
  • Passeio: introduza exercícios na rotina do pet. Ajuda no gasto calórico, evitando o sobrepeso e obesidade. Comece aos poucos e vá aumentando a quantidade, respeitando sempre o limite do seu pet;
  • Evite dar petiscos: alguns petiscos podem ser bastante calóricos. Substitua por um petisco funcional, como uma fruta, por exemplo. Peça orientação do seu veterinário que irá calcular as quantidades diárias necessárias.

*Texto Saul Anjos

Foto: Veja Saúde

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio