Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A fisioterapia é uma área que possui diversas especialidades e entre elas, está a fisioterapia pélvica, que atua na reabilitação das disfunções do assoalho pélvico, que inclui os músculos e ligamentos que sustentam órgãos como a bexiga, útero, intestino e região abdominal. Mas além de ser usada como uma forma de tratamento, esse tipo de fisioterapia pode trazer benefícios tanto para saúde da mulher quanto do homem.

A fisioterapeuta Danielly Fialho explica que esse tipo de fisioterapia atua como tratamento íntimo para ambos os sexos, e pode ser realizada por meio de tecnologia ou não. “A fisioterapia pélvica é uma especialidade da qual cuidamos da saúde íntima de homens e mulheres onde a ginástica íntima/exercícios do assoalho pélvico objetivam tratar e prevenir queixas urinárias, sexuais, anorretais e decorrentes do processo gestacional na mulher. Com recursos tecnológicos e terapia manual eficientes na resolução do problema”, afirma.

A especialista comenta que essa fisioterapia pode ajudar em causas consideradas comuns entre as pessoas. “Somos profissionais que apresentam tratamento padrão ouro para Incontinência Urinária de Esforço (IUE) e bexiga hiperativa que podem causar o constrangimento e desconforto de estar sempre em busca de um banheiro próximo”, pontua.

Além disso, Danielly esclarece que existem várias condições em que a fisioterapia pélvica pode ser utilizada. “Outro carro chefe são as queixas de dor na relação sexual apresentadas frequentemente por mulheres com endometriose, Síndrome do Ovário Policístico (SOP) e do processo menopausal”, destaca.

Ela enfatiza que este tipo de fisioterapia não é apenas para pessoas que relatam algum tipo de problema na região íntima. “Esses exercícios não só podem como também devem ser incentivados em indivíduos sem queixa pois são responsáveis pela manutenção do prazer sexual, sustentação dos órgãos internos e continência dos esfíncteres”, ressalta.

A fisioterapia pélvica também é considerada assistencial para gestantes, isso porque são utilizadas técnicas no corpo da mulher desde a gestação até o parto. “Outro momento onde a fisioterapia pélvica faz a diferença é na preparação gestacional e assistência durante o trabalho de parto normal, onde contribuímos com estratégias corporais para favorecer a fisiologia do nascimento e reduzir a frequência do uso de intervenções medicamentosas e parto instrumentado. Aumentando o conforto da mulher e os níveis de sucesso do parto vaginal”, conclui Danielly.

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio

Anúncio

INSTITUCIONAL

O Front Saúde

Bem-vindo à Revista Digital Front Saúde! Aqui você encontra as melhores notícias na área da saúde.

E se você soubesse de algo que pudesse salvar a vida de alguém que você ama?