Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no mundo todo nos últimos 20 anos. De acordo com um dado da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o número de mortes por doenças cardíacas aumentou em mais de 2 milhões desde o ano 2000 para quase 9 milhões em 2019. 

Mas porque o número de pessoas que morrem por doenças do coração é muito alto? De acordo com a cardiologista Natália Esteves, isso ocorre devido aos avanços da sociedade. “Antigamente, as pessoas morriam por doenças infectocontagiosas. Com a evolução da vacinação da população, melhoria da educação e adequação do saneamento básico, tivemos melhora do índice de desenvolvimento humano. As doenças infectocontagiosas diminuíram e as pessoas começaram a envelhecer. Tivemos a transição epidemiológica, ou seja, as pessoas pararam de morrer por doenças infectocontagiosas e começaram a morrer por doenças crônico-degenerativas que estão relacionadas ao envelhecimento populacional”, afirma.  

Os fatores de risco das doenças cardiovasculares 

Os fatores de risco são aqueles que estimulam o aparecimento doenças no corpo. Alguns desses fatores podem ser evitados. De acordo com a especialista, os fatores de riscos das doenças cardiovasculares são divididos em dois grupos: modificáveis e não modificáveis. “Os não modificáveis são a idade, o sexo masculino que tem um risco maior, a mulher fica com o risco igual ao do homem após a menopausa, mas até a menopausa, o homem tem maior risco que a mulher, além de história familiar. E os fatores de risco modificáveis são o tabagismo, a obesidade, o sedentarismo, dieta inadequada, pessoas que não controlam a diabetes e o colesterol, são fatores de risco que nós conseguimos alterar, seja mudando o estilo de vida ou aderindo a medicação prescrita pelo médico”, destaca. 

Principais doenças cardiovasculares 

A especialista destaca as principais doenças cardiovasculares. “A aterosclerótica coronariana são as placas de gorduras que acometem as artérias coronarianas, essas placas acabam causando o infarto. Além disso, temos as doenças do músculo que podem causar a insuficiência cardíaca, que é a dificuldade do coração de relaxar ou contrair. Também temos as arritmias cardíacas, que são as doenças elétricas do coração e as valvopatias, que são doenças das valvas do coração”, aponta.  

Formas de prevenção 

De acordo com Natália, é possível prevenir as doenças cardiovasculares atuando nas formas de prevenção fatores de risco modificáveis. “Realizando atividade física regular, manter uma dieta balanceada rica em frutas, com baixa quantidade de sal, rica em verduras, em fibras, realizando acompanhamento nutricional, perda de peso, fazer o uso adequado da medicação e ir frequentemente ao médico. Adultos saudáveis a baixo de 50 anos devem ir a cada dois anos no seu médico realizar um checkup e adultos acima de 50 saudáveis devem ir anualmente”, explica.  

Importância do setembro vermelho 

A cardiologista lembra o quanto é importante falar sobre as doenças que acometem o coração para prevenir e tratá-las. “Todas as doenças do coração matam por diferentes mecanismos, mas matam. Essas doenças tem um descontrole dos fatores de risco, então, o paciente que tem diabetes, uma pressão que não é controlada ou está acima do peso, predispõe que se tenha muito mais chance de ter as doenças do coração. A importância é entender que elas são doenças graves, porém são doenças possíveis de prevenir com medidas adequadas”, conclui. 

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio