Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Após os 30 anos, o corpo humano inicia o processo de desaceleração do metabolismo. A partir dos 50 anos, o corpo da mulher passa por mudança fisiológicas e hormonais, inclusive, inicia o processo de perda muscular, conhecido como sarcopenia. Para mulheres durante essa fase da vida, a prática da atividade física de musculação pode proporcionar ainda mais qualidade de vida, assim como contribuir para um envelhecimento saudável.

A educadora física e especializanda em exercícios físicos aplicado à grupos especiais e prevenção e recuperação de lesões Adriana Mesquita, explica a importância da musculação e ressalta os cuidados e benefícios de se manter ativa após os 50 anos. “Manter-se ativa desencadeia benefícios psicológicos e emocionais que protege e promove a saúde mental, diminuindo o risco de declínio cognitivo, demência e depressão; ou também podemos identificar precocemente a patologia quando ainda é assintomática e tratá-la, tentando estabelecer novamente o estado normal. Logo, o comprometimento cognitivo leve; e a depressão podem ser revertidos com a prática de exercícios físicos”, afirma.

A especialista destaca os benefícios do cuidado com o corpo através da musculação e pontua ser além de questões fisiológicas. “A estética na terceira idade é facilmente interpretada como uma etapa de perdas. O indivíduo sofre com as mudanças corporais, com a redução das forças e da agilidade, como também enfrenta o estigma social de ser incapaz e improdutivo. A consequência disso se reflete, na maior parte das vezes, na baixa autoestima e, decorrente a isto, na qualidade de vida, dada a condição de mal-estar diante das perdas e afastamento da sociedade a que se reservam muitas idosas. O exercício físico entra como fator de benefícios, pois ele tornará esta mulher mais independente e funcional. Resgatando sua autonomia e melhorando suas faculdades mentais”, aponta.

A partir desse momento, outros fatores alteram o comportamento do corpo como, por exemplo, a menopausa, período em que os hormônios estão entrando em declínio. A musculação trará benefícios multifatoriais. Citando fatores sexuais, como exemplo, após a menopausa, há uma perca de interesse pelo sexo e este âmbito continua sendo um elemento importante para muitas mulheres na terceira idade.

A musculação entra com benefícios desde fatores fisiológicos à psicológicos. A liberação de hormônios como endorfina, serotonina, adrenalina, GH, que é hormônio do crescimento, dentre outros, trazendo diversos benefícios para a vida da mulher praticante, estimulando também a liberação de ocitocina, o hormônio do prazer.

A profissional aponta para fatores como a osteoporose, que afeta os ossos provocando a diminuição progressiva da densidade óssea e, consequentemente, o aumento do risco de fraturas. “Os exercícios físicos são importantes aliados na preservação das funções esqueléticas, pois uma massa muscular forte estimula o aumento da massa óssea. E para fortalecer os músculos, é preciso utilizá-los e com a osteoporose, os ossos ficam mais frágeis e quebradiços. É necessário exercícios de força de acordo com a individualidade de cada indivíduo, onde o profissional realizará as melhores estratégias para que o aluno execute em segurança. Exercícios multiarticulares que utilizem várias articulações e músculos serão ótimas pedidas para este público”, detalha.

Adriana finaliza enfatizando a importância dessa prática sob a orientação de um especialista. “Toda e qualquer prática de exercícios físicos deve ser acompanhada por profissional de educação física, seja em academias ou em casa, o treino é estruturado de acordo com a necessidade e objetivo do aluno. Treinos em casa são muito bem-vindos, desde que tenha suporte de profissional”, conclui.

*Matéria produzida por Karolina Vieira

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio

Anúncio

INSTITUCIONAL

O Front Saúde

Bem-vindo à Revista Digital Front Saúde! Aqui você encontra as melhores notícias na área da saúde.

E se você soubesse de algo que pudesse salvar a vida de alguém que você ama?