Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A Síndrome do Túnel do Carpo é uma neuropatia que ocorre pela compressão do nervo mediano do punho. A doença acomete, proporcionalmente, mais as mulheres do que homens, sendo mais comum em pessoas com mais de 50 anos. O túnel de carpo, onde acontece a doença, fica localizado entre o punho e as mãos, mas os incômodos, no entanto, podem se alastrar para os braços e até os ombros. Segundo a fisioterapeuta e Dra. Walkyria Fernandes, essa patologia pode aparecer por alguma disfunção musculoesquelética gerando desequilíbrio no corpo, mas existem alguns fatores de risco, como: diabetes, obesidade, artrite reumatoide, fraturas, gravidez, entre outras causas.

“Os principais sintomas podem ser formigamento e dormência, em especial a noite, dor na mão, no punho e nos dedos. É importante destacar que a síndrome do túnel do carpo pode acometer qualquer pessoa, mas as mulheres são mais propensas a patologia. Outro ponto de atenção é que de acordo com a anatomia do nervo mediano, ele começa desde a cervical, portanto pode haver pontos de compressão, com alterações no pescoço, ombro, cotovelos, até chegar ao túnel do carpo”, explica a especialista.

O diagnóstico da síndrome do túnel do carpo é realizado por meio de testes clínicos, no consultório de um ortopedista ou fisioterapia, e também através de exames de imagem, como ultrassonografia. Além disso, pode ser feita uma eletroneuromiografia, que irá avaliar se o nervo mediano tem alguma alteração. “Realizado o diagnóstico da síndrome, é necessário começar o tratamento da paciente de uma forma global, ou seja, cuidar de todos os pontos de compressão, que podem estar em toda a estrutura que compõem essa anatomia, da cervical até o túnel do carpo. Ou seja, não basta apenas tratar o local da dor. É necessário melhorar a mobilidade e fortalecer as estruturas do corpo da paciente, para tratar a patologia”, alerta a Dra. Walkyria Fernandes, fisioterapeuta clínica.

Na ausência de qualquer tratamento, a síndrome do túnel do carpo pode evoluir progressivamente e culminar em uma lesão permanente do nervo mediano. Evidências científicas alertam que, o tratamento adequado interrompe esta evolução da patologia, e, na maioria dos casos, proporciona uma recuperação completa dos sintomas de compressão do nervo mediano no túnel do carpo. Em casos moderados ou severos, pode ser necessária a intervenção cirúrgica, que fará a liberação do nervo mediano do túnel do carpo. Essa cirurgia é feita por técnicas de endoscopia, que podem ser pouco invasivas ou abertas.

A fisioterapeuta clínica Walkyria Fernandes ressalta ainda que é possível prevenir a síndrome do túnel do carpo, com um estilo saudável e a prática regular de exercícios físicos, que consequentemente pode evitar os fatores de risco como, por exemplo, a obesidade e o diabetes. Evitar trauma nas mãos e punhos também é importante. Também seria ideal evitar movimentos repetitivos com sobrecargas, que podem ser uma das causas da síndrome, mas ainda há evidências científicas contraditórias sobre esse tema.

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio