Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Comumente a surdez é associada a velhice. Em se tratando do diabetes, frequentemente, se avalia a doença com o comprometimento da visão, problemas renais ou neuropatias capazes de provocar lesões nos pés. Mas além disso, a doença também afeta a audição, isso porque os níveis de açúcar no sangue são capazes de danificar os nervos auditivos, responsáveis por transmitir os sinais do ouvido interno para o cérebro, onde os impulsos elétricos são “traduzidos” para o som que reconhecemos.

Os pacientes com diabetes têm duas vezes mais chances de perder a audição, comparados aos indivíduos da mesma idade não portadores da doença. Aqueles com pré-diabetes também apresentam um risco aumentado em 30% para surdez. Nessa fase, os níveis de glicose no sangue estão mais altos do que o normal, mas ainda não é suficiente para o diagnóstico de diabetes tipo 2, mas metade das pessoas com essa condição acaba desenvolvendo a doença. No Brasil, existem aproximadamente 17 milhões de diabéticos e é estimado que, para cada doente, outras três pessoas estão ameaçadas de enfrentar problema similar.

Controlar a glicemia é importante porque taxas muito baixas de glicose no sangue são prejudiciais para a audição. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC em inglês), agência responsável pelas diretrizes de saúde nos Estados Unidos, enfatiza que alguns medicamentos para o controle do diabetes podem afetar a audição, além de recomendar que o paciente converse com um especialista a respeito. A surdez é uma condição que vai se agravando com o tempo, e também é associada a ansiedade, isolamento e depressão.

A doença pode ser despercebida no começo, mas é bom estar atento aos sinais:

1) Pedir com frequência para os outros repetirem o que acabaram de falar.

2) Ter a impressão de que as pessoas estão apenas murmurando, num tom de voz abaixo do habitual.

3) Dificuldade para acompanhar a conversa num grupo ou para ouvir o que é dito em lugares barulhentos.

4) Esforçar-se para entender o que é dito no telefone.

5) Aumentar o volume de aparelhos a ponto de incomodar quem está à sua volta.

Fonte: G1

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio

Anúncio

INSTITUCIONAL

O Front Saúde

Bem-vindo à Revista Digital Front Saúde! Aqui você encontra as melhores notícias na área da saúde.

E se você soubesse de algo que pudesse salvar a vida de alguém que você ama?