Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Após ouvir os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado recebe na manhã desta quinta-feira, 6, o atual chefe da Pasta, Marcelo Queiroga (Foto: O Globo). Também está marcado para o início da tarde o depoimento de Antônio Barra Torres, diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Eles serão os primeiros integrantes atuais do governo Jair Bolsonaro a serem questionados pela comissão.

O depoimento de Queiroga encerraria o ciclo de testemunhas que passaram pelo comando da Saúde, mas Eduardo Pazuello acabou desmarcando a presença nesta quarta-feira. Segundo membros da comissão, o general da ativa alegou que teve contato no fim de semana com dois coronéis que foram infectados pelo novo coronavírus e, por isso, teve o depoimento presencial reagendado para o dia 19 de maio.

Leia: Presidente de CPI da Covid diz que fala de Bolsonaro pode prejudicar importação de insumos chineses

Os requerimentos para que Queiroga fosse ouvido pelo colegiado destacam que o ministro da Saúde pode ajudar a esclarecer a crise sanitária no Amazonas, onde pacientes internados com o vírus enfrentaram a falta de oxigênio e muitos perderam a vida pela escassez do principal insumo para a recuperação dos pacientes. O médico cardiologista assumiu a pasta no pior momento da crise, em que o país bateu recordes diários de óbitos, e pressionado para acelerar o Programa Nacional de Imunização contra o coronavírus.

Apesar disso, assim como Mandetta e Teich, Queiroga deve ser questionado sobre a utilização da cloroquina e de outros medicamentos sem eficácia comprovada para tratar a Covid-19 no “tratamento precoce”, defendido pelo governo federal. Além disso, o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), já afirmou que perguntará sobre o número inflacionado de vacinas contratadas pela União.

— Queremos saber se tem ou não vacina e quais são os contratos. Vou esperar o ministro aqui com essa resposta — disse o senador em coletiva após a sessão desta quarta.

O atual ministro da Saúde tem feito um esforço para mostrar que o governo federal está sendo efetivo na compra e distribuição de vacinas contra o coronavírus. Com frequência praticamente diária Queiroga posta nas redes sociais mensagens para defender que o Planalto está alinhado no combate à Covid-19. Nesta quarta-feira, ele afirmou que a Pasta está “muito empenhada” para ampliar a testagem da população para promover uma “reabertura segura da economia”.

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio

Anúncio

INSTITUCIONAL

O Front Saúde

Bem-vindo à Revista Digital Front Saúde! Aqui você encontra as melhores notícias na área da saúde.

E se você soubesse de algo que pudesse salvar a vida de alguém que você ama?