Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A pandemia moldou as formas de como as empresas passaram a se comportar no mercado, levando a redefinição dos ambientes de trabalho. O home office se tornou algo essencial devido os protocolos de segurança exigidos por conta do novo coronavírus como, por exemplo, o distanciamento social e rotinas mais flexíveis, fazendo com que as empresas iniciassem a migração do seu negócio para o meio digital.

Esses avanços passam a levantar discussões de como será o futuro do trabalho. Com a grande maioria das pessoas vacinadas, o mundo passa a retornar para os seus eixos e restabelecendo a rotina, funcionando sem restrições e voltando para a gestão de modelo antigo, porém, adaptando os pontos positivos de uma gestão mais moderna e flexível. Para empresas menores e mais jovens, essa nova adaptação se torna mais fácil, isso porque não existe tanta burocracia e já se acostumaram com o cenário de mudanças.

Apesar da cultura da organização ou de seu tamanho e idade, ter atenção a essas novidades de gestão é fundamental para manter o ambiente de trabalho produtivo e para que a empresa cresça.

Veja quais são as maiores tendências da gestão administrativa para os próximos anos:

1. Jornada de trabalho híbrida

O home office não era uma forma de trabalho muito comum antes da pandemia, mas hoje é um modelo adotado por muitas empresas no Brasil e no mundo. Há pessoas que não preferem trabalhar em suas casas, por sentirem menos concentradas ou até improdutivas, porém muitos funcionários se adaptaram a esse formato. Segundo uma pesquisa realizada pela Think Work Lab com mil funcionários, apenas 6% optaram pela volta 100% presencial ao trabalho, mostrando a adaptação da maioria ao modelo híbrido.

2. Marcas com propósito

O sucesso de uma marca depende muito do seu propósito. Apenas vender um produto ou serviço já não é o bastante, é necessária uma visão, um objetivo a ser alcançado pela organização. Isso não apenas engaja os funcionários e traz pessoas realmente determinadas para trabalhar na empresa, como também agrada os clientes, que sabem que ao consumir produtos daquela marca estão comprando não apenas um produto ou serviço, mas um estilo de vida.

3. Preocupação com a saúde mental dos colaboradores

Por conta do distanciamento social e por um clima de tensão no mundo todo, o número de pessoas que começou a sofrer com problemas psíquicos aumentou em 25% no mundo todo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Nas corporações isso não foi diferente, os números de pessoas com problemas como a Síndrome de Burnout vem crescendo exponencialmente, e um dado levantado pela consultoria Delloite mostra que os casos aumentaram em 77% só durante a pandemia.

Como uma forma de reduzir problemas como esse e também com foco em uma melhor qualidade de vida dos funcionários, a tendência é que as empresas garantam cada vez mais em conteúdos e iniciativas que visam a saúde mental dos colaboradores. 

Acesso a consultas com psicólogos, webinars, melhor preparo das lideranças, e-books e campanhas de conscientização são opções que podem ajudar a combater problemas como o Burnout.

Fonte: Exame

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio