Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Os benefícios irresistíveis do pedal.

Por Talytha Araújo

No dia da reabertura do parque Estadual do Utinga, em Belém, que aconteceu em agosto de 2020, vários grupos de ciclistas aglomeraram-se em frente ao local. Os adeptos do pedal diziam estar ansiosos para matar a saudade de uma boa pedalada dentro do ambiente que se manteve seis meses fechado.

O episódio teve grande repercussão por causa dos riscos à saúde, por conta da pandemia. Causou preocupação também entre as autoridades do Estado.


A medida de interditar o parque para tentar conter o avanço do vírus no Pará também se repetiu neste ano de 2021, após a segunda onda de Covid-19 no Estado. O parque ficou pouco mais de um mês sem funcionar. Mas quando reaberto, no final de Abril, adivinhe?


Vários amantes da magrela não conseguiram conter a vontade de matar a saudade de dar uma boa pedalada no parque, aproveitando a mudança as medidas de flexibilização do Governo, que alteraram o bandeiramento de vermelho para laranja.

O Infectologista Nagib Abdon, disse em entrevista ao Front que mesmo em prática de atividade física, qualquer aglomeração em meio a pandemia é muito perigosa, com risco de contágio. Porém, ele destacou os benefícios da atividade para aumentar a imunidade e manter a mente sã. “O problema foi muitos terem pensado em pedalar juntos e ao mesmo tempo, mas o tempo ainda estava ruim”, ressaltou o médico referência na área há mais de 35 anos.


O Front Saúde também conversou com dois praticantes da modalidade. Acompanhe.

Era aos finais de semana que as bicicletas de Marcelo e Marcele Mello saiam da garagem. Com equipamentos de segurança muito bom humor eles percorriam a viagem de 7,5 km até o Utinga e só retornavam para casa depois de realizarem todo o percurso da trilha do parque ambiental. “Antes da covid, a gente pedalava três vezes na semana para reduzir o stress. Esvaziava a nossa mente. O exercício ajudou no tratamento da ansiedade da Marcele”, explicou Marcelo, que trabalha como segurança numa rotina de trabalho de 36/24 horas.

Movimentar um veículo de propulsão ( aquele que precisa de um usuário para se movimentar), é uma atividade prazerosa. Muitos aprendem quando crianças, e outros já incluem na rotina.
A prática deste exercício também libera o hormônio da endorfina. Uma maneira de driblar o stress, a ansiedade e tudo o que tem prejudicado a saúde mental das pessoas, de acordo com a pisicóloga Erica Sarges. “Seja em atendimento presencial ou tele, sempre recomendo o exercício. Se possível duas vezes na semana”, sugere.
O instrutor de pedal Alex Breno já viu muita gente recuperar a saúde da mente depois de começar a pedalar com regularidade. “Percebemos a mudança no comportamento e melhora na qualidade de vida dessas pessoas. Elas se divertem, movimentam o corpo, melhoram o convívio social e trabalham a auto confiança”, explicou rapidamente antes de subir no banco de sua bicicleta e continuar a pedalar para não se perder do grupo,

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio