Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A maternidade é um momento de muitas transformações na vida de uma mulher. Desde mudanças hormonais, alimentares até as do corpo. Mas uma em especial merece atenção, a saúde mental, pois pode impactar pré, durante e pós gestação.

O psicólogo Renan Oliveira, que atua no atendimento assistencial do complexo hospitalar da Beneficente Portuguesa ressalta que há muitos fatores que norteiam o estado emocional da gestante, uma vez que toda mulher tem uma história que procede a essa gravidez e que ela deve ser orientada dentro da sua individualidade, diante desse contexto da chegada de um bebê.

O profissional esclarece que toda mudança é um processo de sair da zona de conforto e experimentar algo novo e que, portanto, todo esse processo tem impactos muito importantes no emocional, afinal, há vários fatores que precisam ser considerados.

Outro ponto importante na atenção à saúde mental da gestante é deixa-la expor seus sentimentos, dúvidas, expectativas e medos. “É primordial ouvir a mulher, saber se essa gravidez foi desejada, se ela tem o suporte da família, se tem a presença do pai, do seu companheiro, se estão confiantes ou inseguras, isso tudo tem que ser levado em conta e ser respeitado, para que ela seja tratada sempre como protagonista”, avalia o psicólogo.

Oliveira destaca que é feita uma análise em todo o histórico e a partir do entendimento das demandas dessa mulher e as dificuldades que ela enfrenta, é direcionado o atendimento de facilitador nesse processo, nunca como alguém que vai decidir, a protagonista sempre é a mulher. “Entramos num trabalho conjunto com a equipe de enfermagem e assistência social, auxiliando tanto a equipe médica como a própria enfermagem no acolhimento a essa mãe, dando o suporte emocional necessário para que esse preparo para o parto seja o mais tranquilo possível e que ela consiga sair desse tempo de internação se sentindo empoderada”.

A coordenadora da maternidade da Beneficente Portuguesa explica que há todo um trabalho de apoio às gestantes desde o momento da admissão da paciente até o momento da alta com o recém-nascido, visando o fortalecer o acolhimento por parte dos profissionais direta ou indiretamente ligados à assistência, e o vínculo pais e familiares com o bebê, com ênfase na importância amamentação.

“Fazemos visitas guiadas à maternidade, que tem uma equipe multiprofissional, como médicos obstetras, enfermeiros, enfermeiras obstetras, pediatras neonatologistas, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e fonoaudiólogo. Além disso, priorizamos as condutas humanizadas de acordo com as orientações da Rede Cegonha e Iniciativa Hospital Amigo da Criança, por meio das quais incentivamos o aleitamento materno exclusivo e na primeira meia hora de vida o contato pele a pele mãe-bebê, reforçando ainda a criação da rede de apoio para dar o suporte físico, social e emocional a ambos”, conclui a coordenadora.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio