Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

O aneurisma é uma dilatação na parede de um vaso do cérebro em que, na maioria das vezes, não apresenta sintomas. Uma vez rompido, o aneurisma pode causar um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Mesmo silenciosa, alguns sinais podem chamar atenção para a doença.  

Antônio de Matos, Neurologista Endovascular, explica sobre como é possível identificar a diferença de uma dor de cabeça comum para a dor de cabeça que pode estar relacionada com a presença de um aneurisma. “A maior parte das dores de cabeça são benignas ou primárias, em torno de 90% das vezes. São dores de cabeça que incapacitam, incomodam, doem, mas o tratamento é medicamentoso. Os sinais de alarme do aneurisma são aqueles que a dor de cabeça não passa com medicações habituais, dor de cabeça associada a uma alteração e dificuldade de mexer o braço, a perna ou mesmo de falar, dor de cabeça associada a uma sonolência excessiva ou mesmo dor de cabeça ao realizar atividade física, evacuar ou ato sexual”, destaca.  

Para o médico, as dores são o sintoma principal na ruptura de um aneurisma, ainda que não seja comum apresentar sintomas, pode acontecer em casos de aneurismas grandes.  

Fatores de risco  

De acordo com o neurologista, existem dois fatores de risco com relação ao aneurisma cerebral. “Existem os fatores de risco modificáveis e os não modificáveis. Os não modificáveis estão relacionadas a nossa carga genética, as heranças familiares. Os modificáveis são vários. A pressão alta é intimamente relacionada a formação de aneurisma cerebral. Não são todos os pacientes hipertensos que vão ter um aneurisma cerebral, porém é mais frequente nesse grupo de pacientes. O controle rigoroso da pressão arterial diminui chances de ter aneurisma. O hábito de fumar é associado ao aumento de aneurisma preexistente”, afirma.  

Tratamento  

O especialista conta que o tratamento do aneurisma pode ser tratado de forma eletiva ou de urgência. “O tratamento do aneurisma cerebral é dividido em dois grandes grupos. O tratamento eletivo marcado e o tratamento de urgência. O tratamento marcado pode ter benefícios porque se tem uma vasta gama de técnicas para ocluir essa dilatação na parede da artéria e consertar essa alteração. Esse tratamento pode ser realizado de forma segura com baixas chances de complicação. Já o tratamento de urgência consiste em fechar a região do aneurisma que sangrou para diminuir a chance de recorrer esse sangramento intracraniano que é associado à levada mortalidade, então as complicações podem chegar até 30% das vezes, muito diferente de um caso eletivo que é menos de 10% vezes esse número”, elenca. 

A qualidade de vida saudável como dormir e se alimentar bem, além de prevenir doenças cerebrovasculares traz uma qualidade de vida maior, prevenindo outras doenças como hipertensão, diabetes e obesidade que também geram riscos ao paciente, finaliza Antônio.  

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio