Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

As unhas fracas, em muitos casos, são consequências da manipulação de produtos de limpeza ou do hábito de roê-las. Porém, ao apresentarem outros sintomas as pessoas que estão com esse problema podem estar sofrendo com uma série de complicações no organismo. Associadas a fraqueza, dor de cabeça ou tontura, podem por exemplo, ser indicativo de anemia, deficiências nutricionais ou alterações hormonais como hipotireoidismo e hipertireoidismo.

As unhas são estruturas formadas por células queratinizadas e apresentam como função a proteção dos dedos e também com a manipulação de objetos. Unha frágil é um dos primeiros sinais de que algo está em déficit no organismo – principalmente vitaminas, minerais e/ou proteínas. Mais especificamente, unhas frágeis podem ser sinal de deficiência de cálcio, ferro, zinco, selênio, complexo B ou proteínas.

Mas as causas do problema são diversas. No caso do hipotireoidismo, por exemplo, ocorre uma diminuição do metabolismo, o que dificulta o transporte dos nutrientes para as unhas, deixando-as fracas, quebradiças e até mesmo com ondulações. Já no hipertireoidismo acontece o contrário – o metabolismo acelera, o que também prejudica, além das unhas, também os cabelos que começam a cair mais.

Dietas muito restritivas, falta de hidratação e alimentação desregrada também desencadeiam fatores de risco para a fragilidade das unhas. Os suplementos podem compensar ou suprir carências nutricionais promovidas por síndromes de má absorção, pós-operatório de cirurgia bariátrica ou outras situações que advenham de uma alimentação desequilibrada.

É importante que as pessoas busquem ajuda a partir do momento em que forem detectadas quaisquer características de unhas frágeis, como descamação ou estarem quebradiças. Buscar um diagnóstico com um dermatologista para realizar um tratamento correto e completo é imprescindível.

Fique atento:

Unhas pálidas: anemia, falta de ferro causada pela deficiência de vitamina C, A, E, complexo B e zinco.

Unhas ressecadas, que quebram com facilidade e descamam: falta de vitamina A proteínas e cálcio; contato com produtos químicos diversos, além dos químicos encontrados em diversos alimentos industrializados. Unhas que não crescem: deficiência de vitamina A e zinco, uso de certos medicamentos ou problemas com saúde intestinal.

Unhas muito finas e quebradiças: deficiências alimentares, doenças debilitantes. Comum em casos de síndrome de má-absorção, em que o problema, geralmente, é intestinal.

Unhas com linhas horizontais e frágeis: falta de vitaminas do complexo B, algum desequilíbrio hormonal, sinal de intoxicação, traumas.

Unhas com manchas escuras e avermelhadas: pode ser trauma, pigmentação racial, envelhecimento precoce, por falta de antioxidantes na alimentação (presentes em frutas e verduras), excesso de açúcar, sal e gordura.

Unhas arroxeadas, aumento da curvatura:  problemas circulatórios,  ou falta de antioxidantes na alimentação, além de excesso de açúcar, sal e gorduras.

Unhas que soltam do leito, espessadas, com ceratose subungueal: psoríase ou intoxicação por medicamentos, infecções por fungos e problema com a flora intestinal e/ou hipersensibilidades alimentares.

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio