Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

A semente do cacau é o principal componente para a preparação de um alimento muito saboroso: o chocolate. Muito requisitado, é sempre quase impossível ouvir alguém dizer que não gosta do tão querido “marronzinho”, que, em alguns casos, é o ingrediente principal para muitas receitas.  

Um sorvete, um bolo, um mousse à base de chocolate é sempre uma boa pedida, mas o que muitos não sabem, é que, apesar do sabor intenso e marcado, algumas composições do chocolate são capazes de trazer benefícios para a saúde. 

A professora de gastronomia e engenheira de alimentos Luciana Ferreira explica que o chocolate é sim, muito benéfico para a saúde, porém, o excesso, e, inclusive alguns tipos de chocolate podem trazer danos. “Comer chocolate é uma delícia e isso é o suficiente para proporcionar sensação de bem-estar e conforto, principalmente devido às memórias afetivas que evoca, pois, é um sabor muito consumido na infância seja através de bebidas quentes, barras, bombons e preparações comemorativas e de família como bolos, brigadeiros e tortas. Porém, o que faz bem à alma, em excesso pode ser prejudicial à saúde e, assim, chocolates muito doces e preparações com eles devem ser evitados no dia a dia, preferindo-se as versões com maior teor de cacau, onde se encontram os principais benefícios do chocolate entre eles: ação antioxidante estimulante e de promoção de saciedade”, afirma.  

Segundo a especialista, estudos comprovam os benefícios para a saúde coronária por meio do consumo diário. Ela enfatiza a quantidade ideal para se comer. “Uma porção de 30g por dia, porém, apenas para chocolates com alto teor de cacau. O 70% é um dos mais eficientes, e, por isso, tem sido muito procurado por quem consome chocolates com este objetivo”, afirma.  

É importante estar alerta para a quantidade, frequência e tipo de chocolate, pontua Luciana. “É um alimento altamente energético devido ao seu conteúdo em gorduras e, portanto, seu consumo deve ser moderado para prevenção da obesidade e outras doenças associadas a dietas ricas em gorduras. Se a preferência do consumidor for por chocolates mais doces, como o ao leite e branco, é importante ficar atento ainda ao desenvolvimento de diabetes através de seu consumo excessivo”, destaca.  

Não há uma regra geral para comer chocolate, mas, recomenda-se que seja consumido após às refeições. 

A professora finaliza falando sobre os melhores tipos de chocolate para o consumo moderado e sem culpa. “Do ponto de vista da saúde, seriam as versões mais intensas, com teor de cacau indicado a partir de 50%. Hoje, existe inclusive uma nova categoria de chocolates ao leite com alto teor de cacau conhecidos por “dark milk”, que, ainda são escassos na região norte, mas já pude ver em alguns supermercados e lojas especializadas em produtos de saúde. Os chocolates conhecidos por meio amargo e amargo já são bem mais fáceis de encontrar, os melhores do ponto de vista e benefícios para a saúde são os que indicam o teor de cacau presente no chocolate”, conclui. 

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio

Anúncio

INSTITUCIONAL

O Front Saúde

Bem-vindo à Revista Digital Front Saúde! Aqui você encontra as melhores notícias na área da saúde.

E se você soubesse de algo que pudesse salvar a vida de alguém que você ama?