Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Comemorado neste sábado, dia 10 de julho, o Dia Mundial da Saúde Ocular, é uma data instituída para lembrar a importância de cuidar da saúde dos olhos. Miopia, glaucoma, ceratocone e catarata são alguns dos problemas mais comuns e, com a chegada do verão amazônico, fica o alerta para a conjuntivite.

A oftalmologista Raíssa Casseb, do Hospital Bettina Ferro de Souza explica que, entre as principais doenças oculares, estão as conjuntivites, que podem ser virais ou bacterianas e são reconhecidas principalmente pela vermelhidão e secreção nos olhos; o tracoma, que é uma conjuntivite crônica que pode levar à cegueira; a catarata, caracterizada pela alteração de cor da pupila, que pode variar entre o cinza e o branco, e acarreta a perda gradativa da acuidade visual. Há também o glaucoma, que é o aumento da pressão intraocular, e é a principal causa de cegueira irreversível no mundo.  

“A conjuntivite está relacionada à água do mar, piscina, mesas, maçanetas e até nas lentes de contato. É considerada uma das doenças mais contagiosas do mundo, se propaga com mais facilidade no verão, porque o calor aumenta o tempo de sobrevivência do vírus no meio externo”, afirma a oftalmologista. Ela salienta que a prevenção inclui manter as mãos sempre limpas, evitar coçar os olhos, utilizar álcool 70% após lavagem das mãos, não tocar em corrimão de escadas públicas, não compartilhar colírios, toalhas, fronhas ou maquiagem, além de limpar o teclado e o mouse do computador com álcool 70%.  

Pandemia e saúde ocular – Muitos dos hábitos que a especialista orienta foram amplamente adotados para evitar o contágio pelo vírus da covid-19, mas o isolamento social, a quarentena e o aumento de exposição à telas também são responsáveis por problemas na saúde dos olhos. “Os efeitos da chamada luz azul, emitida pelos eletrônicos, nos olhos, vêm sendo estudados há vários anos por pesquisadores e oftalmologistas, e estão associados à degeneração da mácula ocular, uma doença que, se não for tratada, pode levar à cegueira. Essa luz também está envolvida na regulação do sono e nos mecanismos de envelhecimento, além de estar associada à miopia em crianças”, comenta Raíssa Casseb.  

De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), o uso de telas de smartphones, tablets e computadores, pode acarretar na Síndrome Visual Relacionada à Computadores (SVRC), que atinge cerca de 90% das pessoas que utilizam computadores por mais de três horas ao dia. Dentre os sintomas, a vista cansada, ardência, dor de cabeça, vermelhidão, ressecamento, visão turva e sensação de corpo estranho nos olhos são as principais queixas. A SOB recomenda pequenas pausas de 5 a 10 minutos por hora sejam feitas pelos usuários, e pausas maiores devem ser feitas em casos de turnos superiores a quatro horas diárias em frente a uma tela.  

A especialista lembra que o maior cuidado com a saúde ocular é a prevenção: “devemos cuidar dos olhos com carinho e atenção, realizando consultas periódicas com o oftalmologista. Assim como vamos ao médico clínico, cardiologista, fazer para fazer um ‘check-up’, temos que ir também ao oftalmologista pelo mesmo propósito: a prevenção. Cerca de 75% dos casos de cegueira são evitáveis ou curáveis, ou seja, a cada quatro cegos, três poderiam não estar nessa situação”, conclui a médica.  

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio