Redes Sociais
Publicidade

Publicado

no

Você já ouviu falar em Fodmaps? São carboidratos não digeridos pelo organismo que podem causar gases e distensão abdominal. Se você sofre com sintomas prolongados da Síndrome do Intestino Irritável (IBS), pode ser importante entender como Fodmaps interferem na sua saúde intestinal.

A intolerância a estes alimentos, total ou parcial, depende da quantidade ingerida e até da combinação desses carboidratos, relacionados a fatores individuais e ao equilíbrio flora intestinal. Quando fermentados pelas bactérias intestinais, os Fodmaps produzem dióxido de carbono, hidrogênio e gás metano, expandindo o intestino, além de inchaço e diarreia. O processo pode resultar em distensão e dor abdominal, comuns na IBS.

São exemplos de Fodmaps frutas (maçãs, abacates, cerejas, mangas, pêssegos, peras, melancias, sucos de fruta e frutas desidratadas), legumes (cebola, alho, repolho, brócolis, couve-de-Bruxelas, aspargos, alcachofra, cogumelos, couve-flor), laticínios (leite, iogurte natural, iogurte grego, queijos moles (como cottage e ricota), além de álcoois de açúcar (qualquer adoçante que termina em -ol: xilitol, sorbitol, maltitol, eritritol), mel, agave.

Para identificar a intolerância aos Fodmaps é preciso estar atento aos sintomas e procurar um especialista. Exames como a colonoscopia e laboratoriais podem ajudar no diagnóstico. A análise nutricional é indispensável, mas o tratamento deve levar em conta a presença de outros fatores como o estresse, ansiedade, uso de antibióticos/antidepressivos e dor menstrual.

Tratamento -A dieta é o caminho assertivo para melhorar o quadro de intolerância provocado pelos Fodmaps. Uma delas é a chamada Low Fodmaps, uma reelaboração alimentar que elimina ou limita severamente alimentos ricos em Fodmaps, durante um período de até dois meses. Após esse intervalo, os alimentos são reintroduzidos na dieta de forma gradual, com acompanhamento dos sintomas.

Além de ajudar a reduzir os sintomas da IBS, o plano alimentar com baixo teor de Fodmaps pode ter efeito positivo em pessoas que sofrem de Supercrescimento Bacteriano do Intestino Delgado (SCBID) e outros distúrbios gastrointestinais. A ideia não é ficar sem os Fodmaps, até porque muitos destes alimentos são saudáveis, benéficos também para a digestão (prebióticos) e ricos em fibras, mas descobrir, neste grupo de “maiores suspeitos”, quais são menos agressivos ao aparelho digestivo.

Publicidade
Continuar Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anúncio

Anúncio